terça-feira, 14 de setembro de 2010

A sombra dentro de mim

A sombra dentro de mim some junto com a tua tristeza quando deitamos juntos. Eu e você não sentimos nada. Não foi o que você disse enquanto nos amávamos loucamente na minha cama? Arranque as cores da maquiagem, mulher. Deixe seus sentimentos na porta, aqui dentro o que quero é teu corpo. Estou participando do teu jogo.
Eu quero ver você nua na minha cama. Eu disse que você era a única. Talvez eu tenha mentido. Qual é seu nome? Quem você ama? Eu quero te odiar, tratar-te como se eu tivesse o bastante. Talvez eu seja apenas um peão no seu tabuleiro. Mas você sempre será a minha rainha.
Continue mascarando a vergonha, case logo. Ele não é o teu futuro? Mas eu duvido que ele te faça mais mulher do que eu. Eu duvido que ele te faça gemer de prazer como eu. Eu duvido que ele te ame mais do que eu. Tente me esquecer com ele, mulher. Conseguirá? É o que me pergunto.
Fique lamentando o dia no qual você não acreditou em mim. Sim, eu te amei. Mas agora, te mostrarei apenas o que você quer ver: o meu fim.
Por isso eu sofri tanto, mulher. Queimei-me em você, e transformei-me em cinzas. Tudo o que eu quero agora é uma ressurreição. Você não era minha, lembra? E eu sempre fui teu. Maldito tolo, eu fui.
Nenhuma outra possuiu o mesmo brilho, nem o mesmo ardor. As outras eram como gelo. Você, era como fogo.

Texto chave.
Sem drama e sem neura aqui, por favor.

Um comentário:

Daniel disse...

Do caralho! Meio pornô (???), mas essa é a intenção, talvez. Gostei da levada do texto. Sou suspeito, gosto de tudo o que você faz, haha. ♥